Anatomia foliar comparativa de nove espécies do gênero Piper (Piperaceae)

Alessandra Mara Gogosz, Maria Regina Torres Boerger, Raquel Bonato Negrelle, Celso Bergo

Resumo


As espécies de Piper são de grande interesse medicinal. Porém apresentam considerável desafio taxonômico, provavelmente pelo diminuto tamanho das partes florais. Por isso a morfologia externa da folha tem sido muito utilizada para taxonomia do grupo. Entretanto, há poucos trabalhos anatômicos para o gênero. Neste estudo, as folhas de nove espécies foram comparadas anatomicamente: Piper aduncum Vell.; P. cernuum Vell.; P. dilatatum Rich; P. gaudichaudianum Kunth; P. glabratum Kunth; P. hispidinervum C. DC.; P. lindbergii C. DC.; P. solmsianum C. DC. e P. umbellatum Jacq. O objetivo era avaliar o potencial dos caracteres anatômicos para separação de espécies. A maioria das espécies estudadas tem a epiderme do limbo constituída por células retangulares e arredondadas. Camadas subepidérmicas ocorrem em ambas às faces do limbo, exceto em P. aduncum, P. cernuum e P. hispidinervum. Todas as espécies são hipoestomáticas, exceto P. hispidinervum. O mesofilo é dorsiventral na maioria das espécies, enquanto em P. solmsianum e P. umbellatum o mesofilo é homogêneo. O número de camadas dos tecidos paliçádico e esponjoso é variável. Também ocorrem variações no número e no tamanho dos feixes vasculares. Em geral, ocorrem células secretoras, idioblastos, tricomas tectores e glandulares, lipídios, compostos fenólicos e amido. A análise de agrupamento identificou três grupos distintos entre as espécies, com base nas características anatômicas estudadas.

Palavras-chave


anatomia; folha; Piperaceae; Piper

Texto completo:

PDF


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.