Biologia reprodutiva de Psychotria carthagenensis (Rubiaceae), espécie distílica de fragmento florestal de mata ciliar, Centro-Oeste do Brasil

Ana Kelly Koch, Patrícia Silva, Celice Alexandre Silva

Resumo


Este estudo teve por objetivos analisar a fenologia de floração, a biologia e a morfologia floral, o sistema e o
sucesso reprodutivo dos morfos florais de Psychotria carthagenensis Jacq. O período de floração se estendeu
de maio (estação seca) a janeiro (estação chuvosa). A floração dos morfos florais foi sincronizada e o número
médio de inflorescências, de botões em pré-antese e de flores abertas por indivíduos foram semelhantes. A
antese das flores de ambos os morfos foi de 12 horas. Houve diferença significativa no comprimento da
corola, dos lobos estigmáticos, das anteras e altura do estilete entre os morfos florais. A viabilidade de pólen
foi alta entre ambos os morfos. A formação de frutos ocorreu em polinizações intramorfos e intermorfos e não
houve diferença significativa na produção de frutos e sementes em tratamentos intermorfos. Os atributos florais
analisados sugerem que os dois morfos contribuem similarmente para a manutenção da espécie na área de estudo.

Palavras-chave


fenologia de floração, heterostilia, morfologia floral, sucesso reprodutivo

Texto completo:

PDF


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.