Florística e ecologia de epífitas vasculares em um fragmento de floresta de restinga, Ubatuba, SP, Brasil

Luiz Felipe Mania, Reinaldo Monteiro

Resumo


O epifitismo é responsável por parte significativa da diversidade de florestas tropicais, proporcionando
recursos alimentares e microambientes especializados para a fauna de dossel. A comunidade de epífitas
vasculares ocorrente em floresta alta de restinga na planície litorânea da Praia da Fazenda, Núcleo Picinguaba,
ao norte do município de Ubatuba/SP, foi avaliada através de coletas mensais durante o período de um ano.
Foram identificadas 64 espécies, 37 gêneros e 12 famílias, sendo Orchidaceae, Bromeliaceae, Polypodiaceae
e Araceae as mais representativas com 75% do total de espécies amostradas. A forma de vida mais rica
encontrada foi a holoepífita obrigatória (73,4%), tendo as monocotiledôneas como maioria (55,3%). Em
seguida, apareceram as holoepífitas facultativas (14,1%), restritas às famílias Bromeliaceae e Lomariopsidaceae,
as hemiepífitas secundárias (6,3%) e primárias (3,1%), exclusivamente da família Araceae, e as holoepífitas
acidentais e preferenciais (1,6% cada).

Palavras-chave


categorias ecológicas, epifitismo, florística

Texto completo:

PDF


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.