Altitudinal distribution and species richness of herbaceous plants in campos rupestres of the Southern Espinhaço Range, Minas Gerais, Brazil

Rafael Augusto Borges, Marco Antônio Carneiro, Pedro Viana

Resumo


Abstract
The variation in the species richness of herbaceous plants along an altitudinal gradient was analyzed in the
Serra do Ouro Branco and Serra do Ribeiro, in the townships of Ouro Branco and Ouro Preto, respectively.
Plant similarity between both serras was also assessed. Twenty spots were sampled along a 440 m (1105 m to
1545 m) altitudinal range; at each site, herbs were collected within ten 1 m2 plots, totaling 200 m². We found
101 species distributed in 59 genera and 25 families. The richest plant families in Serra do Ouro Branco were
Poaceae (22 spp.), Asteraceae (14 spp.) and Cyperaceae (10 spp.), while in Serra do Ribeiro, they were
Poaceae (17 spp.), Cyperaceae (12 spp.) and Asteraceae (8 spp.). Variation between the number of species
and altitude was not significant. The higher number of species in Serra do Ouro Branco may be due to different
local environmental factors and to the occurrence of grazing and fires. The serras presented a high similarity
value (J = 0.44), but cluster and ordination analysis indicated the formation of two distinct groups, reflecting
the importance of local factors to determine the floristic composition of neighboring areas of campos rupestres.

Resumo
A variação da riqueza de plantas herbáceas ao longo do gradiente altitudinal foi estudada em campos rupestres das
Serras do Ouro Branco e do Ribeiro, localizadas respectivamente nos municípios de Ouro Branco e Ouro Preto.
A similaridade entre a flora das serras também foi verificada. Foram amostrados 20 pontos num gradiente
altitudinal de 440 m (1.105 m a 1.545 m); em cada ponto, as ervas foram coletadas em parcelas de 1 m2,
totalizando 200 m². Foram encontradas 101 espécies em 59 gêneros e 25 famílias. Na Serra do Ouro Branco, as
famílias com maior número de espécies foram Poaceae (22 spp.), Asteraceae (14 spp.) e Cyperaceae (10 spp.),
enquanto na Serra do Ribeiro foram Poaceae (17 spp.), Cyperaceae (12 spp.) e Asteraceae (8 spp.). Não houve
variação significativa da riqueza de espécies com a altitude e a Serra do Ouro Branco apresentou um maior
número de espécies. As serras apresentaram elevada similaridade entre si (J = 0,44), porém houve a formação de dois grupos distintos nas análises de agrupamento e ordenação, indicando que a riqueza de espécies em áreas
relativamente próximas de campo rupestre podem estar sob influência de fatores locais predominantes.


Palavras-chave


biogeography, gradient, diversity, mountains, similarity, biogeografia, gradiente, diversidade, montanhas, similaridade

Texto completo:

PDF


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.