O tempo de exposição e a dosagem de óleo afetando a produção de biomassa do capim semi-aquático amazônico Echinochloa polystachya

Aline Lopes, Maria Teresa Fernandez Piedade

Resumo


Os efeitos do petróleo cru de Urucu sobre o crescimento e a produção de biomassa da herbácea aquática amazônica Echinochloa polystachya foram estudados experimentalmente em casa de vegetação. Plantas jovens de E. polystachya foram contaminadas com 5 dosagens de petróleo (0 to 2,64 L.m-2) e avaliadas após 1, 5, 10, 15 e 20 dias da exposição. Ao término do experimento foi verificada uma significativa diminuição da proporção de biomassa aérea viva/total, da umidade das folhas e aumento do número de folhas com comprometimento fitossanitário, em resposta ao aumento da dosagem do petróleo. O aumento do tempo de exposição levou à diminuição do número de folhas, biomassa aérea, proporção de biomassa aérea viva/total, biomassa total e um aumento do número de folhas comprometidas e biomassa aérea morta. Contudo, a biomassa de raízes e o comprimento das folhas não foram afetados pela exposição ao petróleo. A baixa tolerância de E. polystachya ao petróleo de Urucu levou à mortalidade de 90% da população de mudas em 20 dias com o tratamento de 2,64 L.m-2. A perda de indivíduos jovens de E. polystachya em doses relativamente baixas do petróleo de Urucu indica que, no caso de um derramamento de óleo na várzea amazônica, esta espécie seria severamente afetada e, consequentemente, todo o ambiente.

Palavras-chave


áreas alagáveis, macrófitas aquáticas

Texto completo:

PDF (English)


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.