Florística de comunidades arbóreas no Município de Pelotas, Rio Grande do Sul

Tiago Schuch Venzke

Resumo


Foram realizados levantamentos florísticos para conhecer as espécies arbóreas, arborescentes e arbustivas no Município de Pelotas, Rio Grande do Sul. As coletas foram feitas por meio de caminhamentos em 21 fragmentos em diferentes estados de conservação. A vegetação estudada pertence a duas fitofisionomias: matriz de paisagem florestal distribuída sobre a Encosta do Escudo Sul-Riograndense e matriz campestre na Planície Costeira. A riqueza encontrada foi de 148 espécies distribuídas em 101 gêneros e 48 famílias. Myrtaceae, com 24 espécies, foi a família de maior riqueza, mostrando gêneros representativos em espécies: Eugenia (7), Myrcia (4), Myrcianthes e Myrceugenia (3). Outros gêneros apresentaram quatro espécies cada, que foram Schinus (Anacardiaceae), Baccharis (Asteraceae) e Myrsine (Myrsinaceae). Ocorreu baixa contribuição de árvores da família Fabaceae com apenas duas espécies, sendo gênero Inga ausente em matas ciliares. Constatou-se a ocorrência de espécies de distribuição geográfica tipicamente tropical como: Geonoma schottiana Mart (Arecaceae), Alchornea triplinervia (Spreng.) Müll.Arg (Euphorbiaceae) e Schefflera morototoni (Aubl.) Maguire, Steyerm. & Frodin (Araliaceae) e táxons de caráter temperado como Azara uruguayensis (Speg.) Sleumer (Salicaceae) e Quillaja brasiliensis Mart. (Quillajaceae). Isso demonstra uma área biogeográfica de ecótono entre a Mata Atlântica stricto sensu e o Bioma Pampa. Desde modo a biodiversidade é considerada elevada em virtude das latitudes e das baixas temperaturas no período de inverno, sendo necessários estudos para desenvolver meios adequados para sua conservação, restauração e manejo florestal.

Floristic composition of forest species in Pelotas Municipality, Rio Grande do Sul state

Abstract

The floristic composition of forest fragments was surveyed including tree, arborescent and shrub species in forest fragments in the municipality of Pelotas, Rio Grande do Sul state, southernmost Brazil. Data was collected by the ‘walking’ method in 21 forest fragments with different conservation status. The vegetation studied was characterized by two phytophysiognomies: a forest landscape matrix (Sul-Riograndense Slopes) and a grassland (Coastal Plain). A total of 148 species distributed in 101 genera and 48 families were found. Myrtaceae, with 24 species was the richest family, with genera representative in number of species: Eugenia (7), Myrcia (3), Myrcianthes (3), and Myrceugenia (3). Other genera had four species each: Schinus (Anacardiaceae), Baccharis (Asteraceae) and Myrsine (Myrsinaceae). Fabaceae with only two species contributed little to tree richness, with the Inga genus absent in riverine areas. There were species with typically tropical geographic distribution range such as Genoma schottiana Mart (Arecaceae), Alchornea triplinervia (Spreng.) Müll.Arg (Euphorbiaceae) and Schefflera morototoni (Aubl.) Maguire, Steyerm. & Frodin (Araliaceae), and taxa with temperate affinity such as Azara uruguayensis (Speg.) Sleumer (Salicaceae) and Quillaja brasiliensis Mart (Quillajaceae). This shows a biogeographic ecotone area between Mata Atlantica stricto sensu and Pampa Biome. But biodiversity is considered to be high because of latitude and low temperatures during winter. Further studies are necessary to develop appropriate strategies of conservation, restoration and management of trees and forest resources.


Palavras-chave


árvores, biodiversidade, conservação, ecologia, trees, biodiversity, conservation, ecology



Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.