Flora vascular da Reserva Biológica da Represa do Grama, Minas Gerais, e sua relação florística com outras florestas do sudeste brasileiro

Rafaela Campostrini Forzza, Daniel Salgado Pifano, Ary Teixeira Oliveira-Filho, Leonardo Dias Meireles, Patrícia Lobo Faria, Fátima Regina Salimena, Claudine Massi Mynssen, Jefferson Prado

Resumo


Este trabalho apresenta o levantamento florístico das plantas vasculares da Reserva Biológica da Represa do Grama, um remanescente de floresta estacional semidecidual do Domínio Atlântico, situado no município de Descoberto, Minas Gerais. Foram realizadas coletas quinzenais de material fértil entre agosto de 1999 e dezembro de 2004. Além do levantamento, fez-se a comparação da composição florística através de análises multivariadas de agrupamento com outras nove áreas (3 de floresta estacional e 6 de ombrófila), cujos levantamentos florísticos de angiospermas tiveram abordagem semelhante. Cada análise foi processada para o conjunto total das espécies e para oito hábitos: árvores (incluindo arvoretas), arbustos, trepadeiras (lenhosas e herbáceas), ervas terrícolas, ervas saxícolas, epífitas, hemiepífitas e parasitas. Na ReBio do Grama foram registradas 644 espécies de angiospermas, distribuídas em 370 gêneros e 100 famílias. Licófitas e samambaias estão representadas por 64 espécies, distribuídas em 37 gêneros e 16 famílias. Seis espécies de angiospermas foram descritas como novas para a ciência. Fabaceae (55 spp.) foi a família com maior riqueza específica, seguida de Rubiaceae (50 spp.), Melastomataceae (28 spp.), Bignoniaceae e Orchidaceae (27 spp. cada) e Myrtaceae (25 spp.). As análises multivariadas sugeriram que os gradientes longitudinais, latitudinais e altitudinais interferem de formas distintas sobre os padrões de riqueza dos diferentes hábitos. O número reduzido de espécies compartilhadas entre as áreas, associado com alta riqueza regionalizada de alguns hábitos demonstra a importância da conservação de fragmentos nas diferentes regiões geográficas da Floresta Atlântica como estratégia para maximizar a conservação da diversidade existente neste domínio fitogeográfico.

 

Vascular flora of the Reserva Biológica da Represa do Grama, Minas Gerais, and its floristic relationships with other forests from Southeastern Brazil

Abstract

The vascular plants survey of a remnant of semideciduous seasonal forest in the Atlantic Forest Biome was carried out in the ReBio do Grama, municipality of Descoberto, Minas Gerais, through forthnightly trips to collect fertile specimens between August 1999 and December 2004. The angiosperms included 644 species distributed in 370 genera and 100 families, including 6 species new to science, while the lycophytes and ferns included 64 species in 37 genera and 16 families. Fabaceae (55 spp.) was the family with the highest number of species, followed by Rubiaceae (50 spp.), Melastomataceae (28 spp.), Bignoniaceae and Orchidaceae (27 spp. each) and Myrtaceae (25 spp.). Once the survey was concluded, a comparison between it and the floristic composition of other nine areas (3 of seasonal and 6 of dense ombrophilous forest) was performed through multivariate analysis. These 9 sites were chosen as their surveys also included all angiosperm habits rather than only woody plants. Each analysis was processed for the all habits and then for each one of the following 8 habits: trees (including treelets), shrubs, climbers (woody and herbaceous), ground-dwelling herbs, rupicolous herbs, epiphytes, hemiepiphytes, and parasites. Multivariate analysis suggested that the longitudinal, latitudinal and altitudinal gradients interfere in different ways over the species richness of diverse habits. The reduced number of species shared between areas, associated to the high regional richness of certain habits shows the importance of conserving forest fragments in different geographical areas of the Atlantic Forest in order to maximize the conservation of the biodiversity within this Domain.


Palavras-chave


composição florística, Mata Atlântica, Zona da Mata, floristic composition, Atlantic Forest Domain



Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.