Biologia reprodutiva de Campylocentrum micranthum (Orchidaceae, Angraecinae)

Senhor Roberto Cabral, Senhor Ricardo Pansarin

Resumo


Resumo
Campylocentrum micranthum é uma espécie amplamente distribuída pelo Brasil. A biologia reprodutiva de C. micranthum foi estudada no município de São Simão, no noroeste do estado de São Paulo. A vegetação da região é caracterizada por florestas semideciduais, matas palustres e cerrado. Na área de estudo C. micranthum floresce no verão. A população estudada é formada por mais de 35 indivíduos distribuídos em uma área de mata palustre. As plantas são epífitas, e as flores são ressupinadas e de coloração creme. Cada flor possui um nectário tubuloso na base que produz em média 0,053 μL de néctar. As atividades dos polinizadores se iniciam por volta das 07:30 e as visitas se estendem até 13:00 h. Os polinizadores de C. micranthum são abelhas dos gêneros Lophopedia e Ceratina. A espécie autocompatível e não autógama. No entanto, necessita de polinizadores para a transferência de pólen. Nos experimentos de polinização cruzada à formação de frutos foi de 3,17%, enquanto no tratamento de autopolinização manual foi obtido 16% de frutificação. Em condições naturais a taxa de frutificação foi de 36,4%.


Abstract
Campylocentrum micranthum is widely distributed throughout Brazil. The reproductive biology of C. micranthum was studied in the municipality of São Simão, state of São Paulo, Brazil. The vegetation of the region is characterized by semi-deciduous forests, swamp forests and cerrado. In the study area, C. micranthum blooms in summer. The study population consists of more than 35 individuals distributed in a swamp forest area. The plants are epiphytes and the flowers are resupinate and creamy in colour. Each flower has a tubular nectary at the base of the labellum that produces 0.053 μL of nectar on average. The activity of the pollinator on flowers occurs from 07:30 to 13:00. The pollinators of C. Micrantum are bees of the genera Lophopedia and Ceratina. Campylocentrum micranthum is self-compatible, but dependent on a biotic pollinator for pollen transference. In the treatment of cross-pollination, fruit set was 3.17%, while in the experiment of manual self-pollination 16% fructification was recorded. Under natural conditions (open pollination) fruit set was 36.4%.


Palavras-chave


Angraecinae, biologia reprodutiva, Campylocentrum, Orchidaceae, polinização, ngraecinae, reproductive biology, Campylocentrum, Orchidaceae, pollination

Texto completo:

PDF (artigo / paper)


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.