Diversidade de plantas que oferecem néctar como recurso floral aos beija-flores nos cerrados do Triângulo Mineiro e região

Adriana de Oliveira Machado, Paulo Eugênio Oliveira

Resumo


Diversidade de plantas que oferecem néctar como recurso floral aos beija-flores nos cerrados do Triângulo Mineiro e região.

Os ambientes abertos de Cerrado têm sido considerados ambientes marginais ou complementares para beija-flores, apesar do considerável número de espécies de beija-flores registrado. Estes utilizam de uma variedade de plantas mesmo sem características ornitófilas. O objetivo do trabalho foi investigar a flora utilizada por beija-flores como recurso alimentar em três áreas de cerrado, a Estação Ecológica do Panga e o Clube de Caça e Pesca Itororó de Uberlândia, em Uberlândia, MG e o Parque Estadual da Serra de Caldas Novas, GO. Em cada área foram demarcados, em cerrado s.r., dois transectos de 1 ha cada, que foram percorridos quinzenalmente para identificação das espécies utilizadas pelos beija-flores, que também foram identificados. O número de espécies de plantas registrado (26) foi maior que o encontrado em outros estudos nas mesmas áreas, porém menor que na maioria dos ambientes florestais. Destas, apenas nove apresentaram síndrome de ornitofilia. Foram registradas nove espécies de beija-flores (Trochilidae) nas três áreas. Apesar da grande diversidade beta descrita para as plantas do Cerrado, todas as áreas e transectos foram muito similares em relação às espécies de plantas.

Palavras-chave


Ornitofilia; Savana brasileira; Trochilidae

Texto completo:

PDF (artigo / paper)


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.