Variações florísticas e estruturais do componente arbóreo de uma floresta estacional semidecidual montana em Socorro, SP

Richieri Antonio Sartori, Douglas Antonio de Carvalho, Eduardo van den Berg, João José Granate de Sá e Melo Marques, Rubens Manoel dos Santos

Resumo


Um dos principais passos para a conservação de florestas é o conhecimento da composição, estrutura e as relações com as variávies ambientais. Assim, realizou-se o levantamento da comunidade arbórea de um fragmento de floresta estacional semidecidual montana, situada no município de Socorro, SP, bacia do Rio Mogi-Guaçu (22º 32’ S e 46º 34’ W, altitude de 750 m), com o objetivo de conhecer a estrutura e a composição florística do componente arbóreo-arbustivo e as variações espaciais relacionadas às variáveis edáficas e borda. Para o mesmo, foram analisados aspectos estruturais (densidade, área basal e distribuição de tamanhos das árvores) e comunitários (composição, distribuição e diversidade de espécies). Foram alocadas 25 parcelas de 20 × 20m, para amostragem dos indivíduos com diâmetro à altura do peito (DAP)> 5cm, onde também foram coletados dados edáficos. Foram registrados 1.360 indivíduos, 166 espécies, 103 gêneros e 41 famílias, bem como dois subgrupos de solos: Argissolo e Gleissolo. A análise de correlação canônica demonstrou que a densidade das espécies varia nas parcelas e nos tipos de solo, porém não apresentou diferenças significativas. Borda, alumínio, matéria orgânica, potêncial hidrogeniônico e saturação por bases foram as variáveis ambientais chave, relacionadas com as variações florísticas e estruturais da floresta.

Palavras-chave


Bacia do rio Mogi-Guaçu; Mata Atlântica; Variáveis Ambientais

Texto completo:

PDF (artigo / paper)


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.