Variação da viabilidade polínica em Tibouchina (Melastomataceae)

Isabela Galarda Varassin, Gláucia Margery Hoffmann

Resumo


Resumo
O gênero Tibouchina é comum no Brasil e encontrado principalmente na Floresta Atlântica, em especial na
região Sudeste. No presente estudo foi avaliada a viabilidade polínica de cinco espécies de Floresta Atlântica,
T. cerastifolia, T. clinopodifolia, T. gracilis, T. pulchra e T. sellowiana, utilizando-se três soluções histoquímicas:
carmim acético, Alexander e cloreto de 2,3,5-trifenil-tetrazólio. Foi avaliada a variação de viabilidade entre
as anteras dimórficas, entre as soluções histoquímicas e entre os indivíduos. Em T. pulchra e T. sellowiana
também foi avaliada a variação entre os dois primeiros dias a partir da abertura da flor. Nenhuma espécie
apresentou variação relacionada ao dimorfismo das anteras. Nas duas espécies que apresentam maior
longevidade floral, a viabilidade foi semelhante no primeiro e segundo dias em T. pulchra, enquanto que em
T. sellowiana as flores de segundo dia apresentaram pólen menos viável. As soluções histoquímicas empregadas
revelaram taxas de viabilidade polínica distintas. Houve variação na viabilidade polínica entre os indivíduos
em todas as espécies. A solução de cloreto de 2,3,5-trifenil-tetrazólio revelou a menor taxa de viabilidade em
todos os indivíduos. As soluções histoquímicas empregadas, a amostragem e a longevidade floral foram
fatores relacionados à variação da viabilidade polínica.
Palavras-chave: pólen, polinização, reprodução, soluções histoquímicas.
Abstract
The genus Tibouchina is common in Brazil, mainly found in Atlantic Forest, in Southeast region. In this study
the pollen viability was evaluated in five species of Atlantic Forest, T. cerastifolia, T. clinopodifolia, T.
gracilis, T. pulchra and T. sellowiana, using three histochemical solutions: acetocarmine, Alexander and 2, 3,
5-triphenyltetrazolium chloride. The variation of pollen viability was evaluated among the dimorphics
anthers and among individuals. In T. pulchra and T. sellowiana it was also evaluated the variation among the
two first days after flower openning. There was no variation related to anther dimorphism. Considering the
two species with the longest flower longevity, the viability was similar in the first and second day in T. pulchra,
but in T. sellowiana the pollen from the second day was less viable. The histochemical tests employed showed
distinct rates of pollen viability. Rates of pollen viability were distinct among individuals in each species. The
stain 2, 3, 5-triphenyltetrazolium chloride showed the smaller viability. The results show that the treatments
employed, sampling and flower longevity were factors related to pollen viability.
Key words: histochemical solutions, pollen, pollination, reproduction.

Palavras-chave


pólen; polinização; reprodução; soluções histoquímicas

Texto completo:

PDF


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.