Estrutura e distribuição espacial de populações de palmeiras em diferentes altitudes na Serra do Mar, Ubatuba, São Paulo, Brasil

Kelly Fernandes de Oliveira, Simey Thury Vieira Fisch, Juliana de Souza Duarte, Matheus Fischer Danelli, Luiz Fernando da Silva Martins, Carlos Alfredo Joly

Resumo


A estrutura ontogenética e espacial de dez espécies de palmeiras que ocorrem na Serra do Mar, Ubatuba, São Paulo, foi analisada nas fitofisionomias: Floresta Ombrófila Densa de Terras Baixas, Submontana e Montana. Em 12 parcelas de um hectare (quatro parcelas em cada fitofisionomia) foram instaladas três transecções de 10 × 100 m, subdivididas em subparcelas de 10 × 10 m, totalizando 0,3 hectares inventariados em cada parcela. Foram procedidas identificação e biometria completa de todas as palmeiras, e a distribuição espa- cial das populações foi analisada por meio do Índice de agregação (Ia) proposto por Perry. Com a elevação, foram observadas alterações na riqueza e abundância das espécies, com predominância de plântulas em Astrocaryum aculeatissimum, Euterpe edulis, Geonoma gamiova, Geonoma pohliana e Syagrus pseudoco- cos. Indivíduos jovens apresentaram maior frequência em Attalea dubia, Bactris hatschbachii e Geonoma schottiana. Geonoma elegans apresentou mais adultos e Bactris setosa, frequências similares de plântulas e jovens. A maioria dos estádios ontogenéticos não foi correlacionada com a altitude e o padrão agregado foi predominante nas espécies de palmeiras. Dessa forma, concluiu-se que a altitude não influenciou no padrão de distribuição espacial das populações de palmeiras, mas afetou a composição dessa comunidade na Floresta Ombrófila Densa na Serra do Mar.

 

Structure and spatial distribution of palm populations at different altitudes in Serra do Mar, Ubatuba, São Paulo, Brazil

Abstract

The ontogenetic and spatial structure of ten palm species that occur in the Serra do Mar, Ubatuba, São Paulo, Brazil, were analyzed for three vegetation physiognomies dense rain forest of lowland, lower montane and montane regions. At twelve 1-ha plots (four plots in each vegetation physiognomy) three transects, 10 × 100m each, divided into subplots of 10 ×10m, and 0.3 hectare in each plot was surveyed. All palms were identified and the biometrics of all palm species determined. Spatial distribution of populations was analyzed using the aggregation index (Ia) proposed by Perry. Changes in species richness and abundance were observed associated with elevation. Seedlings predominated in Astrocaryum aculeatissimum, Euterpe edulis, Geonoma gamiova, Geonoma pohliana and Syagrus pseudococos; juveniles had higher frequency in Attalea dubia, Bactris hatschbachii and Geonoma schottiana; Geonoma elegans had more adults and Bactris setosa had similar frequencies of seedlings and saplings. Most of the ontogenetic stages were not correlated with altitude and the aggregate pattern was predominant in palm species. Therefore, it was concluded that altitude did not influence the spatial distribution pattern of palm populations, but it affected the composition of the community in the dense rain forest in the Serra do Mar.



Palavras-chave


Arecaceae, Mata Atlântica, Padrão espacial, Atlantic Rainforest, Spatial pattern

Texto completo:

PDF (artigo / paper)


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.