Composição e estrutura arbórea em floresta estacional semidecidual no Espinhaço Meridional (Serra do Cipó, MG)

Matheus Fortes Santos

Resumo


Resumo

Estudos florísticos e fitossociológicos têm sido feitos em áreas de Mata Atlântica, sendo parte desses em remanescentes de Floresta Estacional Semidecidual. Entretanto, no cômputo geral, as florestas na Serra do Espinhaço têm sido pouco estudadas. Este trabalho objetiva descrever e analisar a composição e estrutura de espécies arbóreas de uma área de Floresta Estacional Semidecidual na face leste da Serra do Cipó, porção meridional da Serra do Espinhaço (MG). O método de ponto-quadrante foi utilizado para estudo fitossociológico, sendo o levantamento florístico total incrementado por coletas não-sistematizadas. Foram calculados: área basal total, densidade, frequência e dominância relativas, além do índice de valor de importância. O levantamento florístico total registrou 280 espécies, número que destaca a riqueza da área, cuja maior afinidade florística é com outras áreas florestais localizadas nas bacias dos Rios Doce e Paraíba do Sul. Os parâmetros fitossociológicos destacam a predominância de espécies pioneiras e secundárias iniciais, o que, assim como os valores estruturais, caracteriza um estádio secundário inicial a intermediário de regeneração. Os dados deste trabalho realçam a importância da preservação das florestas estacionais da Mata Atlântica e, particularmente, de áreas florestais na porção leste do Espinhaço.

Palavras-chave: conservação, fitossociologia, florística, Mata Atlântica, Campo Rupestre.

 

Tree composition and structure of a semideciduous forest in the Meridional Espinhaço

Abstract

Floristic and phytosociological studies have been carried out in the Atlantic Forest, part of them in fragments of Semideciduous Forests. However, in the overall, the forests in the Espinhaço Range have been poorly studied. The aim here was to survey and analyze the tree species composition and structure of an area of seasonal forest on the eastern edge of the Serra do Cipó, on the meridional portion of the Espinhaço Range (MG). The quadrant- point method was used for phytosociological sampling and the total floristic surveying was increased by non- systematic collection. Besides the importance value index, the total basal area and the relative values of density, frequency and dominance were calculated. The total floristic survey registered 280 species, thereby emphasizing the richness of the area which has some similarity with forest areas located in the Doce and Paraíba do Sul basins. The phytosociological parameters showed the predominance of pioners and initial successional species which, as well as the structure-values, indicated a forest in the initial to intermediate state of regeneration. The data of this work highlighted the importance of conservation of the semideciduous forests of the Atlantic Forest, particularly in the eastern edge of the Espinhaço Range.

Key words: conservation, phytosociology, floristic, Atlantic Forest, Campo Rupestre.

Palavras-chave


conservação, fitossociologia, florística, Mata Atlântica, Campo Rupestre, conservation, phytosociology, floristic, Atlantic Forest



Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.