Consumo e dispersão secundária de sementes de Mucuna urens (Fabaceae) em Floresta Atlântica no Sul do Brasil

Thalita Gabriella Zimmermann, Romualdo Morelatto Begnini, Tânia Tarabini Castellani, Benedito Côrtez Lopes, Ademir Reis

Resumo


Resumo

No presente estudo foram avaliados o consumo, a remoção e a dispersão secundária de sementes de Mucuna urens (Fabaceae - Faboideae) em um fragmento de Floresta Atlântica, no Parque Municipal da Lagoa do Peri, Florianópolis, SC. O padrão biométrico e o consumo por invertebrados foram avaliados em 100 sementes. A remoção e a dispersão secundária foram avaliadas em 120 e 25 sementes, respectivamente. A média do comprimento, largura e massa das sementes foi de 2,87±0,19 cm, 2,83±0,23 cm e 5,04±1,60 g, respectivamente, e 41% estavam consumidas por besouros Curculionidae, Scolytinae. Não houve relação do comprimento e da largura das sementes consumidas e não consumidas, sendo a massa das consumidas significativamente menor do que as não consumidas, devido aos escolitíneos se alimentarem do cotilédone. As cutias (Dasyprocta azarae) removeram 74,16% (n = 89) das sementes. Esse roedor dispersou 48% e enterrou 36% das sementes, a uma distância média de 8,06 m (± 7,46 m), variando de 1,00 a 35,90 m. A dispersão secundária e o estocamento das sementes de M. urens por cutias diminui a probabilidade de predação por outros vertebrados e invertebrados e aumenta as chances de ocorrer a germinação em sítios favoráveis, ajudando na propagação da espécie.

Palavras-chaves: Floresta Atlântica, dispersão, leguminosa, cutia.

 

Consumption and secondary dispersal of seeds of Mucuna urens (Fabaceae) in the Atlantic Forest in Southern Brazil

Abstract

This study aimed at evaluating the consumption, removal and secondary dispersal of seeds of Mucuna urens (Fabaceae - Faboideae) in an Atlantic Forest fragment in the Municipal Park of Lagoa do Peri, Florianópolis, SC. The biometric pattern and consumption by invertebrates of 100 seeds were evaluated. The removal and secondary dispersion were evaluated at 120 and 25 seeds, respectively. The average length, width and mass of seeds was 2.87±0.19 cm, 2.83±0.23 cm and 5.04±1.60 g, respectively, and forty-one percent of seeds were consumed by beetles Curculionidae, Scolytinae. There was no relationship between the length and the width of the seeds consumed and not consumed, and the consumed mass was significantly less than those not consumed, due to the fact that the Scolytinae feed the cotyledons. The agoutis (Dasyprocta azarae) removed 74.16% (n = 89) of the seeds. This rodent scattered 48% and buried 36% of the seeds, at an average distance of 8.06 m (± 7.46 m) ranging from 1.00 to 35.90 m. The secondary dispersion and hoarding seeds of M. urens by agoutis decreases the probability of predation by other vertebrates and invertebrates and increases the chances to occur the germination in favorable sites, helping in the propagation of the species.

Key words: Atlantic Forest, dispersion, legumes, agoutis.


Palavras-chave


Floresta Atlântica, dispersão, leguminosa, cutia, Atlantic Forest, dispersion, legumes, agoutis

Texto completo:

PDF (artigo / paper)


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.