Vegetation cover and land use of a protected coastal area and its surroundings, southeast Brazil

Elisa Araujo Penna Caris Caris, Bruno Kurtz, Carla Cruz, Fabio Scarano

Resumo


Abstract

We applied remote sensing techniques on a TM Landsat 5 image (1:50,000) to map land use and vegetation cover of the Restinga de Jurubatiba National Park and surroundings. The thematic map generated from the digital classification of the image allowed us to spatially characterize and quantify the different land uses and soil covers of the area. Thirteen classes were identified. The most representative classes in the park were the Clusia (31.99%) and Ericaceae formations (29.14%). More than 90% of the park is occupied by native vegetation and coastal lagoons. The surroundings are very much altered by human activities (e.g. 70.64% is used for agriculture and/or cattle raising). Two hundred and three forest fragments (0.3 to 235 ha) were identified, of which 45.3% are less than 5 ha. Most fragments (56.7%) have a very elongated shape, and are thus submitted to an intense edge effect. The intense fragmentation of the surroundings and the isolation of this protected area can imply, in the long run, the loss of genetic diversity.

 

Cobertura vegetal e uso da terra de uma área costeira protegida e seu entorno no sudeste do Brasil

Resumo

Foram aplicadas técnicas de sensoriamento remoto em uma imagem TM Landsat 5 (1:50.000) para mapear uso e cobertura vegetal do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba e seu entorno. O mapa temático gerado a partir da classificação digital da imagem permitiu caracterizar espacialmente e quantificar os diferentes usos e coberturas do solo da área. Treze classes foram identificadas. As classes mais representativas no parque foram as formações de Clusia (31,99%) e Ericaceae (29,14%). Mais de 90% do parque é ocupado por vegetação nativa e lagoas costeiras. O entorno está muito mais alterado por atividades humanas (e.g. 70,64% são utilizados para agricultura e/ou pastagem). Duzentos e três fragmentos florestais (0,3 a 235 ha) foram identificados, dos quais 45,3% menores que 5 ha. A maioria dos fragmentos (56,7%) tem a forma muito alongada, estando assim submetidos a um forte efeito de borda. A intensa fragmentação do entorno e o isolamento desta área protegida podem implicar, em longo prazo, em perda da diversidade genética.



Palavras-chave


Atlantic forest complex, landscape ecology, protected areas, remote sensing, restinga, Complexo da Floresta Atlântica, ecologia da paisagem, áreas protegidas, sensoriamento remoto

Texto completo:

PDF (artigo / paper)


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.