A vegetação de canga no Quadrilátero Ferrífero, Minas Gerais: caracterização e contexto fitogeográfico

Flavio Fonseca Carmo, Claudia Maria Jacobi

Resumo


Resumo

A vegetação nas cangas (afloramentos ferruginosos) abriga dezenas de espécies raras, várias novidades taxonômicas e elevada diversidade alfa e beta. Utilizando um banco de dados constituído por 1.080 táxons de angiospermas, a vegetação associada às cangas no Quadrilátero Ferrífero foi caracterizada a partir dos elementos florísticos, das formas de crescimento e das fisionomias mais frequentes. Analisou-se a distribuição geográfica e os domínios fitogeográficos de 980 espécies. Ainda, com o objetivo de verificar se há distinção entre a vegetação das cangas em relação às de cinco áreas inseridas em sistemas rupestres de Minas Gerais e Bahia, analisou-se a similaridade a partir do número de espécies de 920 gêneros de angiospermas. Em comparação aos sistemas quartzíticos, principalmente os inseridos na Cadeia do Espinhaço, pode-se distinguir a vegetação das cangas pela maior influência de elementos florísticos do domínio Atlântico, maior frequência de sinúsias formadas por árvores e arbustos, riqueza elevada de espécies de gêneros como Solanum e Cattleya e pouca representatividade fisionômica de alguns gêneros típicos dos campos rupestres. Essa distinção parece correlacionar-se com a localização geográfica do Quadrilátero e com as características geomorfológicas e mineralógicas das cangas. 

 

Canga vegetation in the Iron Quadrangle, Minas Gerais: characterization and phytogeographical context

Abstract

The vegetation in cangas (ironstone outcrops) houses dozens of rare species, several taxonomic novelties, and high alpha and beta diversity. Using a database consisting of 1080 angiosperm taxa, the vegetation associated with cangas in the Iron Quadrangle was characterized by its floristic elements, growth forms, and most frequent physiognomies. We analyzed the geographic distribution and the phytogeographic dominions of the 980 species. Also, in order to verify distinctions between canga vegetation in relation to five areas embedded in rupestral systems of Minas Gerais and Bahia, we analyzed the similarity of 920 angiosperm genera based in the species number. Compared to other rocky systems, especially those within the Espinhaço Range, canga vegetation is distinguished by the greater influence of floristic elements from the Atlantic dominion, greater frequency of arboreal and shrubby sinusiae, high abundance of genera like Solanum and Cattleya, and little physiognomic representation of some typically ‘campos rupestres’ genera. This distinction appears to be correlated with the geographic location of the Iron Quadrangle as well as the mineral and geomorphological characteristics of cangas. 


Palavras-chave


sistemas rupestres, Cadeia do Espinhaço, vegetação metalófila, geossistema ferruginoso, afloramentos ferruginosos, rupestral systems, Espinhaço Range, metalophilous vegetation, ferruginous geosystem, ironstone outcrops

Texto completo:

PDF (artigo / paper)


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.