Floristic and structural comparisons between woody communities of two seasonal forest fragments in the Tocantins river basin and other remnants of this forest physiognomy in Brazil

Marcelo Brilhante Medeiros, Bruno Machado Walter, Washington Luis Oliveira

Resumo


Abstract

This work describes the woody layer composition and structure in two seasonal forest fragments in the Tocantins river basin and compares them to other remnants of this forest physiognomy in Brazil. The survey was carried out by using 17 plot samples (20 × 50 m) located in Palmeirópolis, state of Tocantins, and in Minaçú, state of Goiás. All woody individuals showing diameters ≥ 5 cm, at 1.30 cm above ground level, were recorded. The higher floristic similarity of these forest remnants compared with other closer seasonal forests did not show a distinct pattern. The floristic composition was more similar to that of a deciduous seasonal forest in the Paranã valley, and more dissimilar to other forests in this same valley. This result and a higher dissimilarity related to the southern forests in Goiás suggest that the forest fragments showed a floristic composition and structure typical of lowland seasonal forests in the Tocantins river basin. The results also indicated that the forest fragments have distinct floristic compositions with a relatively similar structure and diversity.

 

Comparações florísticas e estruturais entre comunidades arbóreas de dois fragmentos de florestas estacionais na bacia do rio Tocantins e outros remanescentes

Resumo

A composição e a estrutura do componente arbóreo foram caracterizadas em dois fragmentos de floresta estacional na bacia do médio rio Tocantins e comparadas com outros remanescentes dessa fitofisionomia em outras regiões do Brasil. Os indivíduos foram amostrados em 17 parcelas de 20 × 50 m, nos municípios de Palmeirópolis (TO) e Minaçú (GO). Em cada parcela foram mensurados todos os indivíduos lenhosos que apresentaram diâmetro igual ou superior a 5 cm, medido a 1,30 m do solo (DAP ≥ 5 cm). A maior similaridade florística desses dois remanescentes com outras florestas estacionais mais próximas não apresentou um padrão claro. A composição florística nos fragmentos estudados foi mais similar a uma floresta estacional decidual no vale do Paranã, embora muito dissimilar em relação à outra floresta decidual nesse mesmo vale. Esse resultado e a maior dissimilaridade em relação às florestas do sul de Goiás sugerem que as atuais florestas apresentaram composição e estrutura características de florestas estacionais de baixa altitude da bacia do médio/alto rio Tocantins. Os resultados também indicam que cada fragmento investigado apresenta uma flora própria, com estrutura e diversidade relativamente similares.

 


Palavras-chave


dry seasonal forests, diversity, composition, mata seca, diversidade, composição

Texto completo:

PDF (artigo / paper)


Esta publicação é filiada à ABEC

Licença Creative Commons
Rodriguésia - Revista do Jardim Botânico do Rio de Janeiro is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported License.
A licença se aplica a todos os trabalhos disponíveis no site rodriguesia.jbrj.gov.br.